quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Amor verdadeiro

Postado por Priscila Kuller Clemente às 22:00 0 comentários
E ainda dizem que amor verdadeiro não existe né…
Eu também não acreditava, achava bobagem, fantasia de menina mimada, sonhadora que vive nas nuvens sonhando com seu príncipe e todas as suas perfeições. Príncipe mesmo não existe, não aqui no mundo real, sortuda é a Cinderela, Rapunzel e outras tantas que ouvíamos naqueles livrinhos bonitos que nossos pais leem quando somos pequenas, aqueles que encantam toda menina, que alimentam seus sonhos da mais encantadora maneira (…) Mas mesmo assim com toda essa historia de contos de fada, e do príncipe que não existe em lugar nenhum, eu acredito no amor verdadeiro.

Por que um dia alguém me mostrou que todas as concepções revoltadas que eu tinha sobre o amor eram falsas, ele me mostrou que se pode amar alguém sim, e a cada dia mais e de uma maneira diferente mesmo não sendo nenhum príncipe ou princesa, mas como pessoas normais que erram, que acertam, mas que sempre procuram o melhor do outro, esta pessoa ainda esta comigo, e espero que fique pra sempre e que eu o ame mais que ontem e menos que amanha e que seja para todo o sempre.


Espero que todas as garotas que um dia acreditaram naquele príncipe, mas por causa de um sapo idiota desacreditaram no amor, um dia uma pessoa normal cheia de defeitos e qualidades lhe mostre o amor verdadeiro.


Uma história de amor que deu certo

Postado por Priscila Kuller Clemente às 21:46 0 comentários


"Você me ensinou o verdadeiro significado do amor, me faz me apaixonar a cada dia mais e mais, e todos os dias eu descubro um motivo a mais pra te amar. Seu jeito, seu modo de ser, suas qualidades e seus defeitinhos, amo cada detalhe em você, até o modo como bagunça o cabelo ou como se preocupa comigo. Eu te amo, e quero que seja pra sempre."

Escrevi isso há dois anos, e nenhum sentimento mudou até hoje, se mudou alguma coisa é a cumplicidade que quanto mais tempo passa só aumenta. O melhor de um amor que dura é ver sua trajetória, ver como ambos amadurecem juntos e que mesmo passando anos um ao lado do outro, eles não enjoam, podem até se tornar rotina algumas coisas, mas os sentimentos só se renovam e aumentam.

Há três, um pouco mais na verdade, quase quatro anos atrás eu não entendia como funcionava tudo isso, jurava para mim mesma que não conseguiria ficar com uma pessoa mais que um mês, pobre ingênua... Não sabia mesmo do que estava falando. Hoje eu só tenho que agradecer a todos os momentos que passei e que ainda vou passar ao seu lado. Vai ser para sempre!


Quais são seus medos?

Postado por Priscila Kuller Clemente às 21:25 0 comentários

Todos os seres humanos possuem algum tipo de medo, é natural sentirmos isso, uns os possuem mais que outros, mas ninguém está livre dele. As pessoas vivem preocupadas em ser perfeitas e quando não conseguem se frustam e esse sentimento de frustração às vezes acaba por inibir e atrapalhar uma tentativa futura. E na minha opinião é aí que está o perigo!

Eu sou quase mestre em medos, mas não são medos de aranha, de escuro, de fantasma ou qualquer coisa horripilante que possa ser tangível (fantasmas tangíveis? kkk espero que não!), meus medos se baseiam em sentimentos, sempre tive a mania de programar as coisas, de idealizá-las como um sonho e depois tentar realizar cada passo até chegar à conquista final. Só há um problema em idealizar algo, claro que é saudável planejar tudo antes, mas desde que com cautela, o problema é que conseguimos nos frustar mais facilmente quando idealizamos sem conseguir realizar, e isso não é bom para a auto estima de ninguém.

Eu não tenho nenhum segredo para acabar com esses medos de errar, na verdade venho procurando alguma fórmula que sirva para mim também, que tire um pouco dessa mania de expectativa frustrada. Precisava ser mais forte nas minhas ações, aprender a lidar com situações inesperadas. 

A única coisa que eu sei e que sempre tenho em mente em minha vida é que nunca devemos desistir, e não importa o quanto pareça difícil e quantas vezes tentou, nunca desista! É normal ter medo, pois ele está presente quando queremos muito algo, mas não podemos deixar que ele tome conta de nossos sonhos, de nossas metas. Com ou sem medo siga em frente!


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Por quanto tempo dura uma história?

Postado por Priscila Kuller Clemente às 12:50 0 comentários

Quanto tempo demoramos para escrever uma história? 
Uma semana? Alguns meses? Ou talvez anos? Talvez não seja essa pergunta certa a se fazer, e sim:



 Por quanto tempo dura uma história?



Muitas pessoas diriam que uma história não tem data certa para terminar, e seria justo né, quem começaria alguma coisa sabendo que um dia aquilo teria um ponto final, nem um louco se arriscaria tanto! 
O fato é, comece com um término previsto ou não, uma história que se preze sempre termina e o final muitas vezes não é como esperamos. Afinal, que graça teria se tudo fosse como nós quiséssemos? Eu não assistiria mais novelas, por exemplo... Se bem que sabemos que o vilão sempre se dará mal e que o casal principal sempre ficará junto nem que seja no último capítulo, e ficamos lá, sofrendo, quase chorando de ódio das barbáries que acontecem (parece tão bobo, será que gostamos de sofrer? Porque só pode ser né...). Então deve ser por este motivo que quando vemos um filme e o final não é lá como esperávamos, o odiamos, nem que a história seja boa e que na verdade nem tudo é perfeito, essa é a realidade, mas não aceitamos porque pelo menos nos filmes queremos que tudo seja perfeito e feliz.

Triste e cruel realidade, vida real não se encaixa em filmes ou telenovelas e não, nem em livros com histórias que tenham o final feliz... A não ser que você pegue um da literatura brasileira, daqueles que pedem em vestibular, esses são ótimos pra te decepcionar com um final infeliz e que não tenha nada a ver (irrita taanto!).

Se quer realmente viver uma história realista, comece sem muitas ambições, assim ela não tem tantas chances de decepcionar.


Depois de muito, muito tempo...

Postado por Priscila Kuller Clemente às 12:19 0 comentários
Oi!
Por quanto tempo não escrevo aqui :/
Senti saudades imensas, pois amo escrever <3 Mas, tive que me privar disso porque no momento estou tentando me dedicar aos estudos, e não é fácil, viu! Ter foco em algo que não é tão atrativo, normalmente não costuma ser fácil, mas é preciso às vezes, mesmo que muito, muuuito difícil. De agora em diante vou voltar a escrever, mas não como antes, não todos os dias também, senão tomará muito do meu tempo e eu não quero me sentir culpada depois (siim, eu me culpo se não aproveito tudo que acho que deveria aproveitar para estudar... é horrível!).

Mas enfim, planejando, tudo dá certo não é mesmo?
Preciso também desse blog como uma válvula de escape, entende? Escrever é uma forma que encontro de desabafar tudo que acontece, sem precisar de alguém que fique se preocupando com você, ou que eu tenha que dar explicações. Será como um diário mesmo, só que "nada particular".

Beijos e até o próximo post! <3

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Promoção: Desafio Quasar!

Postado por Priscila Kuller Clemente às 21:33 0 comentários
Vocês já conhecem ar promoção de O Boticário? Nesse Dia dos Pais eles fizeram um jogo que dará prêmios ao primeiro lugar. Não é legal?! Você consegue ganhar prêmios para presentear seu pai e ao mesmo tempo se divertir  (adoorei!!). 

Funciona assim, do dia 5 ao dia 11 de agosto quem ganhar mais pontos no jogo do site da Boticário, este aqui , terá como prêmio uma viagem para Curitiba com direito a dois acompanhantes, um cartão no valor de  R$ 2.000,00 para comprar roupas e ainda um tratamento estético completo! Não é incrível?! Seu pai vai amar, sem falar que você pode ir com ele né, então bora lá jogar! Não perca tempo corre lá acumular seus pontos.  





terça-feira, 6 de agosto de 2013

Eterna confusão

Postado por Priscila Kuller Clemente às 20:46 1 comentários

Uma eterna confusão, essa é a definição para o meu estado de espírito atual. Parece que tudo ao meu redor está fora do lugar, as coisas, as pessoas, os planos, tudo! Será que tem jeito? Acho que todo mundo algum dia na vida já se viu assim. Nem sempre todos os nossos planos dão certo, e às vezes dá até vontade de desistir, é um pouco de medo de errar de novo com uma pitada de preguiça de correr atrás.


Às vezes me vejo impossibilitada de realizar alguma coisa (tem tantas coisas que queremos fazer né?!), tudo parece ter ficado tão difícil que mal consigo sair fora do lugar. Tantas inquietações, dúvidas e incertezas me deixam maluca. Por que tudo não pode ser mais simples, sem ter que sentir o medo de dar errado e não poder voltar atrás?

É nessas horas que sinto falta da época que brincava de bonecas...
 

Diário nada particular Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos